Brasileiros com pouca chances na Europa

Jan 10, 2018

Por ESPN                                                                                                                      

 

Com a janela de transferências aberta novamente em janeiro, há muitos brasileiros loucos para trocar de clube na Europa, seja para um outro país no "Velho Continente" ou até mesmo num possível retorno ao país natal.

São os atletas que caíram em desgraça com seus treinadores e vêm recebendo pouquíssimas chances na atual temporada, esquentando o banco na maior parte do tempo ou nem mesmo sendo relacionados para as partidas.

PAULO HENRIQUE GANSO
Desde que chegou ao Sevilla, na temporada 2016/17, o talentoso meia jamais conseguiu se firmar entre os titulares. Tanto é que, até hoje, só soma 27 partidas e sete gols com a camisa da equipe andaluz.

Ele tem contrato até junho de 2021 com o clube espanhol, mas, segundo o jornal Marca, o técnico Vincenzo Montella, recentemente contratado pela equipe, já lhe avisou que ele não será utilizado no restante da temporada.

O Sevilla, portanto, procura uma nova equipe para Ganso. Por enquanto, todavia, só um clube europeu demonstrou interesse pela sua contratação: o Besiktas, da Turquia. Tudo não passou da fase de sondagem.

O Marca ainda diz que "várias equipes brasileiras suspirariam para tê-lo, mas sem fazer o mesmo pagamento que os andaluzes necessitam para recuperar o investimento". Em julho de 2016, o clube pagou 9,5 milhões de euros (à época R$ 34,4 milhões) para tirá-lo do São Paulo.

RAFINHA
Utilizado com frequência nos tempos do técnico Luis Enrique, o meia do Barcelona vem sofrendo com uma série de lesões, que minaram seu espaço na equipe catalã.

O filho do tetracampeão Mazinho e irmão mais novo de Thiago Alcântara jogou pela última vez em 2 de abril, contra o Granada, quando sofreu uma lesão no menisco do joelho direito. Ele teve que passar por artroscopia.

A alta médica para voltar a jogar só veio no meio de dezembro, mas até agora ele não teve uma chance sequer na temporada com o técnico Ernesto Valverde, nem mesmo nas partidas da Copa do Rei.

Com contrato até junho de 2020, o Barça toparia vendê-lo ou emprestá-lo.

LUCAS MOURA
Se já tinha que lutar desesperadamente por espaço no Paris Saint-Germain, o meia-atacante só viu sua situação piorar com as chegadas dos atacantes Neymar e Kylian Mbappé.

Cada vez mais sem espaço, ele entrou em campo só seis vezes nesta temporada, fazendo um gol. Nestes jogos, atuou por meros 79 minutos: 71 no Campeonato Francês e 8 na Copa da França.

Aos 25 anos, o ex-são-paulino tem contrato até junho de 2019 com o PSG, mas a equipe da capital precisa se livrar dele o quanto antes para se adequar ao fair play financeiro da Uefa, já que gastou muito ao contratar Neymar.

Segundo apurou o ESPN FC, Lucas faz parte de uma barca de oito atletas que o clube francês quer vender. Ele foi sondado recentemente por clubes da China, mas não chegou a um acordo com nenhum deles.

GABIGOL
Vive uma temporada de terror na Europa. Suas poucas atuações pela Inter de Milão em 2016/17 e 2017/18 já foram suficientes para lhe render o prêmio de pior estrangeiro do futebol italiano. Mas em Portugal ele foi pior ainda.

Jogando por empréstimo no Benfica, o atacante jamais conseguiu se firmar e fez apenas cinco partidas pelos "Encarnados", marcando apenas um golzinho. Encostado, já foi avisado que não será mais utilizado pelo time de Lisboa, que agora tenta devolvê-lo.

Como nas últimas janelas de transferência, o nome de Gabigol já foi especulado em vários times brasileiros. Recentemente, o atleta foi ventilado em Santos, Corinthians e São Paulo, mas as conversas não andaram.

Seu contrato com a Inter de Milão vai até junho de 2021. O clube aceita conversas para possíveis empréstimos, já que sabe que dificilmente aparecerá alguém disposto a pagar os mesmos R$ 114 milhões que ele investiu no brasileiro.

DOUGLAS
Outro que vive um pesadelo no futebol europeu. Sem ser utilizado pelo Barcelona, vem sendo emprestado para outros clubes europeus nas últimas temporadas, e para 2017/18 foi uma das apostas do Benfica no mercado de verão.

Em Portugal, porém, apresentou o mesmo futebol apático dos tempos de Catalunha, falhando muito na defesa e péssimo no apoio ao ataque. Ao todo, só fez cinco partidas pelos "Encarnados": 3 no Português, 2 na Champions League.

Ao mesmo tempo em que era detonado pela imprensa portuguesa, que o definiu como "pior que o escândalo da Petrobras", o Benfica tentou devolver Douglas antes do previsto ao Barça, sem sucesso. Dessa forma, ele continua encostado em Lisboa.

Contratado até junho de 2019 pela equipe catalã, ele pretende ficar no "Velho Continente" até o fim de seu vínculo para conseguir passaporte europeu. Por isso, times brasileiros não devem ficar otimistas em contratar o ala direito.

KENEDY
A joia do Fluminense foi contratada em 2015 por cinco anos pelo Chelsea, tendo vínculo com os Blues até junho de 2020. Deste que chegou à Inglaterra, porém, o canhoto jamais conseguiu se firmar na equipe.

Até hoje, Kenedy acumula apenas 26 partidas pela equipe principal dos londrinos, além de um jogo pelo time sub-21 e um jogo pelo Watford, clube para o qual ele foi emprestado na temporada 2015/16.

Na atual temporada, até esteve em campo quatro vezes com o técnico Antonio Conte, marcando um gol. No entanto, ele só tem chances se aceitar atuar como lateral esquerdo, diferentemente dos tempos de Flu, quando jogava avançado pelo lado.

Kenedy tem apenas 21 anos e seria contratação útil para muitos times no Brasil, principalmente por jogar em várias posições. No entanto, como ele tem mercado na Europa, é difícil para as equipes nacionais competirem num possível empréstimo.

DAVID LUIZ
Após ser um dos principais jogadores dos Blues na conquista da última Premier League, David Luiz iniciou mal a temporada 2017/18 e foi colocado no banco pelo técnico Antonio Conte após péssimas atuações na Champions League.

Atualmente, ele perdeu a posição para o jovem dinamarquês Andreas Christensen, de apenas 21 anos.

O zagueiro, que tem contrato até junho de 2019 com os Blues, não vinha ficando nem no banco de reservas, e sequer disputou uma partida em dezembro. Em janeiro, só esteve em campo uma vez, contra o Norwich, pela FA Cup, no último sábado.

Segundo o jornal L'Équipe, David interessa ao Milan para a próxima janela de transferências, o que deve tornar impossível um empréstimo do ex-atleta da seleção a qualquer clube brasileiro por agora.

GERSON
Após começar bem a temporada na Roma, atuando com frequência nos jogos do Campeonato Italiano e da Champions, inclusive fazendo gols, o ex-Fluminense caiu de produção com o resto do time e acabou encostado.

Nos últimos cinco duelos da equipe da capital, o meia só esteve em campo em um, atuando por 67 minutos na derrota para o Torino, pela Copa da Itália, e sendo substituído no segundo tempo.

Desde então, o atleta de 20 anos, que custou mais de R$ 64 milhões aos romanos, sequer entrou em campo nas três partidas seguintes pela Serie A, e não parece que terá muitas chances até o final da temporada.

Com contrato até junho de 2021 com a Roma, é boa opção para quem procura um meia jovem e criativo para a armação no meio-campo. Contra ele, porém, jogam o temperamento difícil e a instabilidade emocional.

VITOR HUGO
Após um ótimo Campeonato Brasileiro em 2016 com o Palmeiras, o zagueiro foi vendido em julho do ano passado à Fiorentina por 8 milhões de euros (R$ 31 milhões, na cotação atual).

Apesar de se bom nos desarmes e no jogo aéreo, vem sofrendo com a adaptação ao futebol italiano, e só fez nove jogos pela Viola até agora, totalizando 371 minutos em campo.

Atualmente, ele é reserva e vem sendo pouco utilizado. Nos últimos cinco jogos, só entrou em campo em um, sendo colocado nos minutos finais do empate por 1 a 1 entre o time de Florença e o Milan.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.


Anti-spam: complete the task

Vídeos